Roteiro de 2, 3 ou 4 dias na Ilha do Mel

A Ilha do Mel é um lugar incrível que pode ser visitado em um dia. Mas, para um melhor aproveitamento da visita, recomendamos pelo menos um fim de semana lá. Mostraremos a seguir o nosso roteiro ideal para 2, 3 ou 4 dias na Ilha do Mel.

DIA 1

Se seu ponto de origem for Curitiba, e caso você escolha sair de manhã (vamos supor às 07h30), chegará no trapiche de embarque aproximadamente às 09h30. Se for em um final de semana, onde a barca sai de meia em meia hora, deve conseguir pegar a barca das 09h30 ou 10h, chegando na Ilha entre 10h e 10h30.

Devido ao avançado do horário da manhã, recomendamos que use esse período para reconhecimento do ambiente. Vá até a sua pousada, deixe suas coisas, coloque uma roupa de praia por baixo e comece a caminhar pelas trilhas mais próximas para começar a se localizar.

Trilha em Brasília

Seguindo esse roteiro, recomendamos o almoço do primeiro dia na Bee House ou Mar e Sol (nossas indicações completas estão em: “Onde comer na Ilha do Mel?”, que é caminho para o próximo ponto. Ande mais 300 metros na indicação das plaquinhas e chegue a umas das praias mais bonitas da ilha: a Praia de Fora.

Recomendamos que curta a praia e peça uns drinks dos restaurantes que servem ali, ficando até às 15h30/16h na Praia de Fora, e depois saia em direção ao Farol da Conchas, que já é visto da própria Praia de Fora. A subida ao farol é tranquila e demora no máximo uns 30 minutos, através dos seus 150 degraus. Não é possível a entrada no farol em si, mas a vista lá de cima é incrível. De um lado, conseguimos avistar a Praia de Fora, uma parte da Praia Grande e o Morro do Sabão, e do outro lado temos a vista para a Praia do Farol. Nossa recomendação é para visitação no final da tarde, pois, além de não estar mais tão quente quanto mais cedo, você consegue assistir o lindo pôr-do-sol da ilha.

 

Subida do farol

Depois do pôr-do-sol, volte para sua pousada, descanse e se prepare para a aventura noturna na Ilha. Recomendamos muito que você encare as trilhas, as vezes escuras, a procura de um restaurante ou barzinho que te agrade. Se quiser jantar algo barato, recomendamos a hamburgueria que comentamos no post “Onde Comer na Ilha do Mel.” Se quiser comer num lugar mais no estilo barzinho, recomendamos o Astral da Ilha ou Treze Luas, que ficam uma em frente da outra.

DIA 2

Pensando a princípio em somente dois dias na Ilha do Mel, recomendamos que você acorde meio cedo no segundo dia (08h00 é um ótimo horário), tome café da manhã e siga em direção a Fortaleza Nossa Senhora dos Prazeres. Essa será  maior caminhada que você fará nesses dois dias, pois a fortaleza fica a 4 km do trapiche de Brasília, ou seja, ida e volta dará 8 km, o que já não é uma caminhada tão leve para quem não tem preparo físico. O tempo médio de caminhada até lá é de 01 hora. Se preferir, você pode alugar uma bike para fazer esse percurso mais rapidamente.

 

PS: Aluguel de Bike: Na ilha há algumas opções de aluguel de bicicleta. Nós já alugamos da Pousada Canto da Sereia, da loja de Artesanatos Pura Vida e de um lugar chamado Rayana, que fica quase ao lado do Canto da Sereia. Além desses, tem mais um lugar que aluga, ao lado da Pizzaria das Conchas, na trilha do farol. O valor da hora custa em média R$ 15,00, e a diária fica entre R$ 40,00 e R$ 60,00, dependendo da época de locação.

Se o tempo estiver bom, indicamos que faça a caminhada (ou pedalada) para a fortaleza pela praia mesmo. Orientamos para que vá de manhã, porque já fomos mais perto do horário do almoço e tivemos dificuldades na volta pois a maré subiu e não deixou quase nada de faixa de areia para o retorno, sendo que tivemos que nos molhar um pouco para conseguir pegar o caminho alternativo da trilha.

Explico: Para chegar até a fortaleza você pode ir pela praia ou pela trilha que margeia a praia. A distância é a mesma, mas chegará um ponto, bem próximo ao início da fortaleza, que você é obrigado a ir pela praia, para ultrapassar umas pedras que dão na fortaleza. Se a maré estiver baixa, as pedras podem ser desviadas.

Chegando na fortaleza, temos acesso a uma vista linda, vários canhões e outras peças de guerra. A fortaleza foi construída em 1767 por determinação do governador e capitão-general da capitania de São Paulo, D. Luís António de Sousa Botelho Mourão, a mando de Dom José I, rei de Portugal, com intenção de preservar a soberania portuguesa e proteger Paranaguá dos ataques piratas e espanhóis. Trata-se do único monumento militar do século 18 existente no Paraná.

Lá conseguimos visitar as prisões da fortaleza, biblioteca, paiol da pólvora e exposição de fotos de artistas locais. Se você ainda tiver fôlego, recomendamos muito a subida ao Morro da Baleia, para acesso a mais uma vista panorâmica e a praça dos canhões da segunda guerra mundial. Essa é uma trilha de 500 metros, mas é um pouco cansativa por ser íngreme, com 150 metros de trecho com calçamento e 350 m de trecho sem calçamento.

Nota: É importante levar água para essa caminhada. O trajeto é longo, e não há restaurantes no caminho fora de temporada. Na temporada, você pode comer algo no Hotel Ilha do Mel, único que é caracterizado como hotel (e não pousada) na ilha.

Trilha calçada

 

Vista do Morro da Baleia

 

BÔNUS: Se você for dos mais aventureiros, e aguentar mais um tempo até o almoço, temos uma indicação incrível de continuidade de passeio. Trata-se de um ponto quase inexplorado por turistas da Ilha do Mel. Depois da fortaleza, entre 3 e 4 km, chegando a um dos pontos máximos que conseguimos visitar nesse lado da ilha (devido a um mangue que interrompe o caminho), encontramos a Torre da Marinha. É um ponto simples, mas muito bonito. A construção antiga e abandonada é muuuito charmosa. Nós só tivemos um inconveniente chegando lá, fomos atacados por butucas. MUITAS. Estávamos sem repelente, e tivemos que tirar as fotos muito rápido para poder voltar.

 

Voltando, recomendamos o almoço no restaurante Pôr do Sol, que tem uma vista maravilhosa! Dependendo do tempo que ainda restar, você pode aproveitar o final do dia na Praia do Farol, que fica do outro lado do foral.

DIA 3

No terceiro dia, é hora de conhecer a outra parte da Ilha: Encantadas. Você pode fazer o trajeto até lá a pé, de voadeira ou misturando os dois. rsrs Nós recomendamos que saia cedo e faça o caminho de ida a pé, porque é super legal! É uma caminhada de 4,5 km, mas que demora quase duas horas, pois passa por trechos de pedras e morros (Morro do Sabão). Não é indicado para pessoas com dificuldades de locomoção, ou com pouco preparo. Nós não somos pessoas super preparada para longas caminhadas e já fizemos esse trajeto várias vezes. Foi cansativo, mas valeu a pena.

Chegando em Encantadas, faça uma parada na Praça de Alimentação de Encantadas para tomar uma água e descansar uns minutinhos, e aí siga para a Grutas da Encantadas, que fica há menos de 1 km dali. A abertura da gruta é incrível, e você consegue aproveitar melhor a visita na maré baixa. Depois de conhecer a formação da gruta e tirar umas fotos, recomendamos que almoce no Restaurante das Orquídeas ou Restaurante Fim da Trilha.

Aproveite a tarde na Praia de Fora de Encantadas e volte para Brasília de voadeira, que custa R$ 5,00 pelo trajeto Encantadas – Brasília. O embarque é no trapiche de Encantadas.

Trilha em Encantadas

Trapiche de Encantadas

DIA 4

Depois de tantas andanças, recomendamos que o último dia seja relax total! Sugerimos que passe a manhã na Praia Grande, ao lado do Grajagan (famosa pousada de alto padrão). De tarde, você pode conhecer o Praia do Istimo (estreita faixa de terra com mar dos dois lados) que fica há 500 metros do trapiche de Brasília, a Praia do Belo, a Praia do Miguel, ou aproveitar um pouco mais da Praia de Fora, que já estava no dia 1 deste roteiro. Antes de ir embora, não deixe de comer um doce no Café das Meninas, junto com a pousada de mesmo nome. 🙂

Fim do dia na Ilha

Até a próxima,

Gian e Amanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos no Facebook

Subtitle