Trilha na Lagoinha do Leste – Florianópolis

Hoje vamos contar nosso relato de um trilha que fizemos em Setembro/2018: a da Lagoinha do Leste, em Florianópolis. A praia da Lagoinha do Leste é linda e totalmente preservada, pois o acesso a ela só pode ser feito através das trilhas ou de barco. Por isso, lá não há infraestrutura nenhuma. Encontramos apenas um rapaz vendendo bebidas num carrinho de sorvete, e uma “barraquinha” de bebidas, improvisada numa banca de madeira.

Sinceramente, nós não pesquisamos muito antes de ir. Só vimos algumas fotos e informações básicas, e fomos. O ruim disso foi que não tínhamos noção do quão cansativa ela seria, e não nos preparamos tão bem como normalmente fazemos quando vamos para trilhas. Por isso, pesquise bem sobre as formas de chegar, distâncias, leve alimentos e muita água!

Há duas trilhas que levam à Lagoinha do Leste: pela praia do Matadeiro e por Pântano do Sul. Como queríamos conhecer bem o local, decidimos ir por Matadeiro e voltar por Pântano do Sul.

Ida pela Praia do Matadeiro

Nós começamos a caminhada pela Praia da Armação, andando aproximadamente 1,5 km até o início da trilha para Lagoinha, que fica na Praia de Matadeiro. Essa trilha é mais longa, tem aproximadamente 4 km, mas é muito mais bonita que a de Pântano do Sul, pois parte do caminho vai margeando o mar. O ruim é que nessas partes você fica totalmente a céu aberto, o que pode ser um problema que te faça cansar mais em dias de sol. Demoramos quase 03 horas em uma trilha de nível médio e com paisagens incríveis até chegar na Lagoinha do Leste.

Na Lagoinha, ficamos mais uns 30 minutos descansando e curtindo o visual. Além da praia, há realmente uma lagoa que se forma na parte de trás, onde muitas pessoas se banham e brincam devido a calmaria e pouca profundidade da lagoa.

Início da caminhada, ainda na praia da Armação
Início da trilha da Lagoinha do Leste

 

 

Morro da Coroa

Como eu disse, não tínhamos pesquisado tanto antes, então nem sabíamos da existência do Morro da Coroa. Chegando lá, vimos o quão bonito ele era e como tinham muitas pessoas subindo. Ficamos curiosos para ir até o topo e, depois de pensar um pouco, decidimos aproveitar a oportunidade e subir o Morro da Coroa antes de voltar por Pântano do Sul.

Alerta: a vista vale a pena, mas tenha ciência de que esse roteiro que fizemos foi MUITO cansativo, especialmente pra nós que estávamos meio “parados” na época da trilha.

O morro tem apenas 1 km de extensão, mas a subida é extremamente íngreme (muito mesmo). Esse 1 km pareceu muito mais devido ao nível de dificuldade da subida, que é realmente elevado. Demoramos 45 minutos para subir, e ficamos mais uns 30 minutos ali em cima pois, como fomos num feriado, tinha bastante fila pra tirar foto na pedra principal do morro. Depois de apreciar a paisagens e fazer vários cliques, demoramos mais uns 30 minutos na descida, que também é difícil por ser íngreme.

 

Trilha que margeia a praia
Descanso necessário
Lagoa na Lagoinha do Leste rsrs

Volta por Pântano do Sul          

 Essa hora já estávamos exaustos, mas precisávamos voltar. Tínhamos a opção de voltar de barco, mas não estávamos dispostos a pagar R$ 35,00 por pessoa pela volta. Então, compramos mais uma água, tomamos fôlego e recomeçamos a caminhada. Essa trilha é menor, tem extensão de 2,2 km, e foi revitalizada recentemente, sendo que construíram uma espécie de degrau no início para facilitar a subida do retorno. Ainda assim, sofremos bastante na volta (eu, Amanda, especialmente, rsrs). Essa trilha é bem mais fechada que a de Matadeiro, e rodeada pela maior quantidade de Mata Atlântica ainda preservada em Floripa. Depois de 1 hora nessa trilha, chegamos ao final da nossa aventura, totalizando 7 horas entre caminhadas e descanso.

 

 

Dicas Importantes:

  • O conjunto de trilhas é, no mínimo, de nível médio. Ou seja, não é indicado para pessoas como dificuldades de locomoção ou muito sedentárias.Para pessoas que não estão tão acostumadas com atividade física mas que querem fazer a trilha até a Lagoinha, recomendamos a ida por Pântano do Sul e retorno de barco;
  • Leve comidas leves e muita água, pois encontramos apenas duas barraquinhas na praia (uma nem barraquinha era), sendo que elas não são fixas e a maioria dos relatos que vimos são de pessoas que não encontraram absolutamente nada pra vender na praia;
  • Passe protetor solar, leve boné ou chapéu e repelente. Mesmo que o sol não esteja visível, ele pode queimar sim;
  • Vá com tênis confortável, pois a trilha é cansativa e com muitos caminhos irregulares e muito íngremes;
  • Considere seu preparo físico X dificuldade da trilha;
  • Em Pântano do Sul, os estacionamentos para carros era de R$ 10,00. Em Armação, de onde saímos, havia vários lugares para estacionar na rua;
  • Se o término da sua aventura for por Pântano do Sul, recomendamos fortemente um almoço/janta no Bar do Arante. 🙂
Fim da Trilha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga-nos no Facebook

Subtitle